15/03/2012 - Prof. Dr. Marcelo Knobel (UNICAMP)
CV
Effects of magnetic interparticle coupling on the magnetic properties of ferromagnetic nanoparticle systems
Studies of magnetic nanoparticle systems have attracted much interest in the last few years owing to their fundamental interest and technological applications. In particular, the correlation of parameters such as size, morphology, crystalline structure, and shape of the particles with the resulting magnetic properties has been thoroughly investigated, but many open questions remain to be answered. Besides the effect of grain size distribution, which strongly affects the magnetic response of the system, important factors need to be controlled, such as the surface of the particles (both roughness and composition gradient), the shape, and the phases formed within the nanograins. Another crucial point is the role played by magnetic interactions among the magnetic entities. This subject has been extensively studied from both experimental and theoretical approaches, but up to now there it is not clear how the dipole-dipole interactions can affect the macroscopic magnetic response of the system. Many different, often conflicting models have been applied to explain the experimental data on interacting magnetic nanoparticle systems. There has been a considerable discussion about the existence of significant collective effects in magnetic nanoparticle systems, and several speculations regarding a spin-glass-like phase at low temperatures on dipole-dipole interacting systems. With the inclusion of dipolar interactions the problem becomes complex and it is usually solved by means of some approximation. One of the most used methods to investigate the role of interactions has been Monte Carlo simulations. Also, novel phenomenological approaches have proposed analytical models that take explicitly into account the correlation arising from the dipolar interactions on nearly superparamagnetic systems. As a matter of fact, the lack of close-to-ideal samples (with controlled grain size, shape, etc.) hindered more systematic experimental studies. In turn, the absence of perfectly reliable experimental data did not allow a consistent comparison with theoretical models and/or computer simulations. In this work, a brief review on the existing models will be given, and new experimental results on sets of sputtered and chemically grown nanocrystalline samples will be shown. Systematic studies as a function of grain size, distance among magnetic entities will be analyzed through the different theoretical models, demonstrating the great importance of dipolar interactions on the magnetic properties of granular systems.

22/03/2012 - Prof. Dr. Paulo Pureur Neto (UFRGS)
CV
Efeito Hall na fase normal do cuprato supercondutor YBa2Cu3Oy no regime sub-dopado
Medidas de efeito Hall realizadas na fase normal de monocristais do cuprato supercondutor de alta temperatura crítica YBa2Cu3Oy são apresentadas. Amostras com diferentes dopagens foram obtidas através da variação da concentração de oxigênio. Na orientação paralela aos planos de Cu-O2, o coeficiente Hall pode ser descrito como RH = A / (T - ?), onde A e ? são parâmetros característicos. Propõe-se que este comportamento tem origem na formação de quiralidades orbitais (loops de correntes não-dissipativas) nos planos atômicos de Cu-O2. Investiga-se também o comportamento da componente axial da resistividade Hall em função da temperatura e da concentração de oxigênio (dopagem). Resultados auxiliares de susceptibilidade magnética anisotrópica também são apresentados.

05/04/2012 - Prof. Dr. Caio Lewenkopf (UFF)
CV
Grafeno: da ciência fundamental à aplicada
Sintetizado pela primeira vez em 2004, o grafeno tem sido o foco de um grande número de pesquisas nas comunidades de física, química e ciência dos materiais. As propriedades eletrônicas e mecânicas peculiares deste novo material oferecem grandes desafios para a ciência fundamental e abrem interessantes perspectivas para uma grande variedade de aplicações práticas. Na primeira metade desta palestra serão discutidos, em nível elementar, alguns aspectos fundamentais da física do grafeno e apresentados alguns exemplos de potenciais aplicações tecnológicas. Em seguida, serão discutidos alguns desafios em aberto para a compreensão da física do grafeno, particularmente em temas de transporte eletrônico investigados pelo meu grupo, justificando o grande interesse científico que este material suscita.

12/04/2012 - Prof. Dr. José Abel Hoyos Neto (USP/São Carlos)
CV
Theory for Disordered Quantum Critical Systems
The study and classification of possible behaviors of disordered systems is a difficult, open and still poorly understood problem in the frontier of condensed matter physics. We have uncovered an universal structure common to a whole class of apparently different and disconnected disordered systems. It is characterized by a line of finite disorder fixed points which begins at an universal weak disorder point (which may be accessible or not to the flow) and extends all the way to infinite disorder.

19/04/2012 - Prof. Dr. Roberto Luiz Moreira (UFMG)
CV
Multiferróicos Magnetoelétricos
Multiferróicos são sistemas materiais que apresentam dois parâmetros de ordem ferróicos independentes, de natureza distinta, que podem interagir. Estes sistemas têm atraído a atenção da comunidade científica devido a possíveis aplicações tecnológicas de efeitos mistos, tais como magnetoeletricidade, magnetoelasticidade, flexoeletricidade etc. Particular interesse tem sido dado aos multiferróicos magnetoelétricos, pelo potencial de aplicações em armazenamento e leitura de dados com baixo consumo de energia e em uma nova arquitetura para spintrônica (lógica de quatro bits). Infelizmente, multiferróicos magnetoelétricos são relativamente raros, devido a requerimentos antagônicos em relação a suas estruturas eletrônicas (óxidos ferromagnéticos requerem camada 3d parcialmente preenchidas, enquanto os ferroelétricos as requerem preenchidas) e a suas simetrias. Nesta apresentação discutiremos o estado atual das pesquisas e tendências sobre sistemas multiferróicos em geral, e apresentaremos resultados de nossas investigações espectroscópicas recentes em alguns sistemas-protótipo magnetoelétricos, focando particularmente no comportamento dos fônons e magnons ópticos nas transições de fase ferroelétrica e magnética dos materiais.

24/04/2012 - Prof. Dr. Alvaro de Souza Dutra (UNESP)
CV
Sólitons: as equações não-lineares dos canais escoceses ao Universo
Apresentamos uma breve descrição da evolução da aplicação do conceito de sólitons, desde sua primeira observação em 1834 na Escócia, até sua aplicação nas teorias cosmológicas modernas. Em seguida discutimos efeitos de possíveis quebras da simetria de Lorentz no comportamento dos chamados óscilons.

03/05/2012 - Prof. Dr. Paulo Henrique Souto Ribeiro (UFRJ)
CV
Estudando o emaranhamento quântico e a não-localidade com fótons gêmeos
A Mecânica Quântica é uma teoria cujos conceitos fundamentais são frequentemente conflitantes com aqueles que desenvolvemos na nossa vida diária. Um destes conceitos é a não-localidade, que vai de encontro à idéia de que o resultado de uma medida realizada em um sistema físico não deve afetar o resultado da medida realizada em outro sistema distante. O chamado emaranhamento quântico também estabelece um conflito semelhante entre a teoria clássica e teoria quântica. Durante muitos anos, estes conflitos ficaram apenas no campo da especulação, em a realização de experimentos para validar os argumentos de ambas as partes. Os fótons gêmeos produzidos em um processo de óptica não-linear chamado conversão paramétrica descendente surgiram como um extraordinário campo de testes destes conceitos e conflitos. Além disto, o emaranhamennto quântico passou a ser considerado um recurso para a realização de tarefas de Informação Quântica. Com isto, os fótons gêmeos passaram a constituir uma ferramenta de testes também para estas aplicações. Discutiremos experimentos em que conceitos fundamentais e aplicações são investigados.

10/05/2012 - Prof. Dr. Viktor Dodonov (UNB)
CV
Efeito Casimir Dinâmico: a História, o Progresso Recente na Teoria e em Experimentos, e os Desafios a Resolver
Vou falar sobre o problema de geração de quantas do campo eletromagnético do estado inicial de vácuo em cavidades com paredes móveis, chamado agora o efeito Casimir dinâmico (ECD). Além dos diferentes resultados teóricos, que mostram a possibilidade de observar o efeito, usando as condições de ressonância entre os modos do campo e oscilações de fronteiras, vou destacar o esquema do experimento, que está em preparação na Universidade de Pádova.
A idéia principal deste experimento (chamado MIR) é usar um "espelho efetivo”, feito de uma camada semicondutora fina, iluminada por pulsos de laser. Também pretendo falar sobre recentes imitações de ECD em circuitos quânticos (guias de ondas supercondutoras, terminadas com SQUIDs e expostos aos fluxos magnéticos variáveis em tempo). Os outros assuntos ligados ao tema são o problema da descrição quântica do oscilador harmônico com freqüência e coeficiente de amortecimento dependentes do tempo e o surgimento de emaranhamento e descoerência de modos do campo, causados pelo ECD.

24/05/2012 - Prof. Dr. José Abdalla Helayël-Neto (CBPF)
CV
A Física do Bóson de Higgs e A Sua Armadilha no LHC
Considerando-se o Modelo-Padrão da Física de Partículas e toda a fenomenologia investigada no LEP e no atual LHC, chega-se a um certo conjunto de vínculos que limitam a faixa de observação do bóson de Higgs esperado pela Teoria Eletrofraca de Salam-Weinberg-Glashow.
Propõe-se, neste seminário, apresentar-se os aspectos básicos da física do Higgs, discutir os vínculos teóricos e fenomenológicos sobre a sua massa, relatar o presente status de suas buscas nas colaborações ATLAS e CMS do LHC e, brevemente, contemplar cenários alternativos de um Física sem a presença do escalar de Higgs.

31/05/2012 - Prof. Dr. Carlos Henrique Monken (UFMG)
CV
Propagação de feixes de dois fótons emaranhados em atmosfera turbulenta
Feixes não-clássicos de luz apresentam correlações espaciais e temporais que não podem ser descritas no contexto da óptica clássica. Uma classe importante desses  feixes é aquela na qual  a fonte de luz produz fótons apenas aos pares, sendo esses fótons altamente correlacionados em tempo, frequência, polarização e perfil espacial. Essas correlações sem análogo clássico têm sido utilizadas em diversos experimentos em informação quântica e em fundamentos de mecânica quântica. O método mais utilizado para a produção de tais feixes em laboratório é através da conversão paramétrica descendente. Neste seminário serão apresentadas as propriedades básicas de feixes de luz de pares de fótons correlacionados e sua propagação em uma atmosfera turbulenta. Mostraremos que sob certas condições os feixes de pares de fótons são insensíveis aos efeitos da turbulência atmosférica, abrindo possibilidades de aplicação  na área de comunicação quântica.

14/06/2012 - Prof. Dr. Roberto André Kraenkel (UNESP)
CV
Modelagem de Epidemias de Malária
Este seminário apresenta uma visão geral de modelagem matemática de epidemias de malária. Damos inicialmente um retrospecto de modelos tradicionais e discutimos vantagens e desvantagens. Na segunda parte, nós nos concentramos em modelos para epidemiologia da malária na Mata Atlântica brasileira, com ênfase em explicar por que ela existe em níveis muito baixos, mesmo existindo o mosquito transmissor e o agente infeccioso. Apresentamos um modelo que leva em conta componentes ecológicos que oferecem predições compatíveis com o observado.

21/06/2012 - Prof. Dr. Luiz Vitor de S. Filho (USP/São Carlos)
CV
Astrofísica de Partículas: estudando os mensageiros mais energéticos do Universo
A Terra é bombardeada constantemente por partículas vinda do Cosmos. Essas partículas atravessam uma grande quantidade de matéria e campos magnético, cruzam a atmosfera terrestre e atingem o solo. Nosso corpo é diariamente atravessado por uma quantidade imensa dessas partículas que felizmente não causam nenhum dano para a nossa saúde. Algumas poucas dessas partículas chegam à Terra com energia um milhão de vezes maior que a energia que a tecnologia humana pode fabricar. Muitos avanços teóricos e experimentais tem sido feitos recentemente na tentativa de explicar a origem dessas partículas, no entanto, a ciência ainda não é capaz de responder às questões fundamentais sobre como e onde elas são produzidas. Neste seminário, entenderemos as principais dúvidas sobre essas partículas e os caminhos que os cientistas estão seguindo para respondê-las. Ao final, teremos compreendido como os mensageiros de mais alta energia no Universo podem nos ajudar a desvendar importantes mistérios da natureza.

14/09/2012 - Prof. Dr. Ulysses Lins (Inst. Microbiologia, UFRJ)
CV
Fisiologia e biologia celular de bactérias magnetotáticas: implicações para a produção de nanopartículas magnéticas microbianas de origem controlada
A biologia de microrganismos magnetotáticos que são bactérias caracteriza-se pela produção de magnetossomos. Os magnetossomos são organelas formadas por uma nanopartícula cristalina magnética envolvida por uma membrana lipídica contendo proteínas especificas para a produção dessas organelas. A característica mais importante dos magnetossomos é o fato de que sua produção é altamente controlada geneticamente pelas bactérias magnetotáticas, que produzem cristais com altíssima perfeição estrutural, pureza química e tamanho definidos. O potencial biotecnológico para aplicações dos magnetossomos é elevado devido às características singulares dessas partículas. O estudo da formação dos magnetossomos pode levar ao entendimento dos mecanismos envolvidos em sua síntese, possivelmente permitindo a interferência na sua produção. O estabelecimento de culturas de bactérias magnetotáticas em fermentadores controlados para a produção de magnetossomos é fundamental para os estudos de aplicações biotecnológicas dessas partículas.  Estes estudos permitirão avançar os conhecimentos na área de biologia celular de organismos formadores de minerais através da utilização de uma abordagem moderna para o estudo da ultraestrutura de materiais biológicos.

18/09/2012 - Prof. Dr. José Pedro M. Serbena (UFPR)
CV
Deposição e Caracterização de Filmes Finos Amorfos a Base de Se
Ligas semicondutoras amorfas, especialmente as baseadas em calcogenetos, têm recebido bastante atenção devido à suas múltiplas aplicações tecnológicas, como memórias óticas, fotocélulas, janelas de transmissão infravermelha, detectores de raios-x, entre outras, constituindo uma importante classe de materiais com enorme potencial para o desenvolvimento comercial de dispositivos optoeletrônicos. Para muitas destas aplicações filmes finos são necessários, tornando seu estudo e caracterização de grande importância para a correta construção e operação de tais dispositivos. Neste seminário será apresentada a caracterização de filmes finos de uma liga semicondutora amorfa a base de Se e P por diferentes técnicas, como XRD, XPS, UV-Vis e MEV/EDS. A aplicação deste material é proposta procurando sua integração na eletrônica orgânica, não como camada ativa do dispositivo, mas como camada passiva de alguns eletrodos comumente utilizados.

20/09/2012 - Prof. Dr. César Augusto Dartora (UFPR)
CV
Correntes polarizadas em spin a partir de simetrias de gauge
Uma vasta gama de fenômenos interessantes para a spintrônica estão associados às correntes polarizadas em spin. Dentre os mais importantes estão o efeito Hall de spin e as forças spin-motivas, que tem sido verificados experimentalmente. Esses efeitos podem ser deduzidos a partir das simetrias de gauge contidas na teoria não-relativística do elétron, que deve incluir campos não-abelianos.

27/09/2012 - Prof. Dr. José d’Albuquerque e Castro (UFRJ)
CV
Electric conductance in nanowires with a domain wall
The electric conductance of ferromagnetic nanowires exhibiting a domain wall is investigated within the Landauer formalism. Calculations are carried out for different sets of material parameters and in each case the dependence of the conductance on the wall thickness is investigated. For weak ferromagnetic materials, contributions to the wire conductance associated with spin-flip and non-spin-flip processes are separately analyzed. Two regimes are clearly identified, one corresponding to thick walls, in which transport is dominated by the spin-flip process, and the other to thin walls, in which case the non-spin-flip process dominates. For strong ferromagnetic materials, a single regime is found and conductance is determined just by spin-flip process. In all cases under consideration, the signature of quantum interference effects, which are not present in the description of the phenomenon based semi-classical approaches, is highlighted.

04/10/2012 - Prof. Dr. Eduardo Chaves Montenegro (UFRJ)
CV
Física de Colisões Atômicas: de tratamento de tumores a atmosferas planetárias
A interação de elétrons e íons pesados rápidos com átomos ou moléculas de um meio material pode transferir localmente quantidades substanciais de energia, deteriorando, alterando e induzindo reações químicas subseqüentes ao longo do seu percurso que afetam criticamente sua evolução biológica ou física.  Elétrons e íons pesados são encontrados naturalmente em magnetosferas planetárias ou produzidos em aceleradores, onde são utilizados atualmente para o tratamento de tumores para os quais outros tipos de terapia não são consideradas clinicamente adequadas.  A dinâmica de colisão e os caminhos de fragmentação dos seus produtos são, via de regra, bastante complexos e os cálculos atualmente disponíveis não são ainda capazes de fornecer resultados quantitativamente confiáveis. Nesta palestra, escolhemos os dois ambientes acima, para apresentar algumas questões em aberto, assim como resultados e avanços experimentais recentes realizados no IF-UFRJ.

11/10/2012 - Prof. Dr. Iberê Luis Caldas (IF/USP)
CV
Transição para o Caos em Sistemas Hamiltonianos
No espaço de fase dos sistemas hamiltonianos quase integráveis há trajetórias periódicas, quase-periódicas e caóticas. Essas trajetórias dependem da configuração espacial do equilíbrio e da amplitude da perturbação que quebra a integrabilidade do sistema. Se a amplitude da perturbação for pequena, as trajetórias caóticas ocupam partes isoladas do espaço de fase, separadas por barreiras constituidas pelas órbitas quase-periódicas e periódicas. Com o aumento da amplitude da perturbação, a região caótica aumenta, as barreiras são quebradas e as trajetórias caóticas atingem todo o espaço de fase. Essa transição para o caos global, que ocorre com o aumento da amplitude da perturbação, depende também do tipo da configuração espacial do equilíbrio considerado. Os perfis espaciais de equilíbrio monotônico e não monotônico apresentam cenários diferentes para a transição para o caos global. Serão apresentados exemplos dessas transições na física clássica e fenômenos que podem ser explicados por essas transições.

18/10/2012 - Prof. Dr. Yan Levin (IF/UFRGS)
CV
Statistical Mechanics of Systems with Long-Range Interactions
Systems with long-range forces behave very differently from those in which particles interact through short-range potentials. For systems with short-range forces, for arbitrary initial conditions, the final stationary state corresponds to the thermodynamic equilibrium and can be described equivalently by either a microcanonical, canonical, or a grand-canonical ensemble. On the other hand, for systems with unscreened long-range interactions, equivalence between ensembles breaks down. In a microcanonical ensemble - in thermodynamic limit - such Hamiltonian systems do not evolve to the usual Maxwell-Boltzmann equilibrium, but become trapped in a non-ergodic stationary state which explicitly depends on the initial particle distribution. In this talk, a theoretical framework will be presented which allows us to obtain the final stationary state achieved by systems with long-range interactions. The theory is able to quantitatively predict both the density and the velocity distributions in the final stationary state, without any adjustable parameters [1,2,3]
[1] Y. Levin, R. Pakter and T. N. Telles, Phys. Rev. Lett. 100, 040604 (2008).
[2] Y. Levin, R. Pakter, and F.B. Rizzato, Phys. Rev. E 78, 021130 (2008); T. N. Teles, Y. Levin, and R. Pakter, Mon. Not. R. Astron. Soc. 417, L21 (2011).
[3] R. Pakter, and Y. Levin, Phys. Rev. Lett. 106, 200603 (2011).
25/10/2012 - Prof. Dr. Maurice de Koning (Unicamp)

25/10/2012 - Prof. Dr. Maurice de Koning (Unicamp)
CV
Transição líquido-líquido no Gálio superresfriado: Aspectos termodinâmicos e dinâmicos
Um dos assuntos mais interessantes na Física dos líquidos envolve a possibilidade da existência de transições de fase entre duas formas líquidas diferentes com a mesma composição química. Embora existam apenas dois casos confirmados experimentalmente nos respectivos diagramas de fase de equilíbrio, simulações atomísticas têm feitas previsões sobre a existência deste tipo de transição no regime superresfriado de várias outras substâncias. De fato, a possível existência de tal transição têm sido proposta como explicação de diversas anomalias dos líquidos em questão, entre os quais a presença de um máximo de densidade. Neste contexto, as investigações têm se focado principalmente nos líquidos tetraédricos como o silício, a água e o SiO2, que apresentam tais anomalias. Além disso, vários aspectos das propostas transições líquido-líquido nestas substâncias têm sido racionalizados em termos das propriedades particulares de tais estruturas tetraédricas.
No entanto, a existência de transições líquido-líquido no regime superresfriado parece não ser particular de líquidos tetraédricos. Neste seminário apresentaremos resultados de simulações de dinâmica molecular do Gálio líquido. Os resultados sugerem uma existência de uma transição de primeira ordem entre uma fase densa e outra menos densa abaixo da temperatura de fusão. Discutiremos tanto os aspectos termodinâmicos da transição como as características dinâmicas das duas formas líquidas.

01/11/2012 - Prof. Dr. Miguel Novak (UFRJ)
CV
Nanomagnetos Moleculares
Nanomagnetos Moleculares são conhecidos há mais de uma década e continuam a atrair a atenção de químicos e físicos, principalmente devido à descoberta de histerese magnética e da relaxação lenta da magnetização de origem molecular. Este tópico tem sido um dos mais ativos na área interdisciplinar de magnetismo molecular. Hoje, apesar da grande esperança e esforço de vários grupos para melhorar suas propriedades visando aplicações, o progresso tem sido lento. Farei uma apresentação geral sobre as duas vertentes da área, os magnetos de uma molécula e os magnetos de uma cadeia assim como dos progressos recentes e das novas direções que estão sendo investigadas visando aplicações futuras em eletrônica molecular e computação quântica.

08/11/2012 - Prof. Dr. Milton Fujimoto (UFPR)
CV
Colisões de elétrons com moléculas de Etanol: o Método da Matriz-R
A Colisão de elétrons com etanol (C2H5OH) foi estudada teóricamente pelo método da Matriz-R, até energias de impacto de 10 eV. As seções de choque diferenciais (SCD) sugerem que a extrapolação para ângulos baixos usada para estender dados experimentais e, portanto, calcular a seção de choque integral (SCI) subestima significativamente a SCD. Vários modelos são utilizados para incluir o efeito de polarização eletrônica e um novo conjunto de SCI foi proposto.

22/11/2012 - Prof. Dr. José Tito da Luz Mendonça (Instituto Superior Técnico - Portugal)
Info
Problemas em Plasmas Relativísticos Quânticos
Depois de mostrar o interesse geral deste tema, abordamos sucessivamente: 1) Problema dos electrões: estados de Volkov generalizados; 2) Problema dos neutrinos: efeitos colectivos e explosão de supernovas; 3) Problema dos fotões: carga e massa efectiva, e aceleração de fotões. Aspectos teóricos e experimentais serão discutidos.

29/11/2012 - Prof. Dr. Luiz Nunes de Oliveira (USP)
CV
Condução elétrica em dispositivos semicondutores nanoestruturados
Este seminário discutirá a física dos dispositivos eletrônicos na escala nanométrica. Especial atenção será dada ao transistor de um elétron, dispositivo formado por um ponto quântico que serve de ponte para permitir condução elétrica entre dois eletrodos. O comportamento da corrente entre os eletrodos em função do potencial aplicado ao ponto quântico será discutido, assim como a notável mudança de comportamento a baixas temperaturas que se deve ao efeito Kondo, isto é, à formação de uma nuvem eletrônica nos eletrodos que blinda o momento magnético do ponto quântico. Para efeito de ilustração, os dados experimentais obtidos por Grobis e colaboradores [Physical Review Letters 100, 246601 (2008)] serão comparados com os resultados teóricos para o modelo de Anderson que descreve o sistema. Como será mostrado, o acordo entre os dados experimentais e a curva universal que descreve a dependência térmica da condutância elétrica é excelente, desde que se suponha que uma fração da nuvem Kondo persiste a altas temperaturas. As implicações dessa suposição serão discutidas.

06/12/2012 - Prof. Dr. Eudenilson Lins de Albuquerque (UFRN)
CV
The Amazing World of NanoBioTechnology
The design of biological molecules devices for molecular nanoelectronics is not yet an easy task since they are crucially dependent upon elucidation of the mechanism and dynamics of electrons and hole transport in them. Notwithstanding, the discovery that DNA, like proteins, can conduct an electrical current has made it an interesting candidate for nanoelectronic devices, which could help to overcome the limitations that classical silicon-based electronics is facing presently. Indeed, nowadays theoretical and experimental investigations are pointing out that the DNA as well as others individual biological molecules, are very suitable for producing a new range of electronic devices that are much smaller, faster and more energy efficient that the present semiconductor-based one, giving rise to a new high-tech revolution based on NanoBioStructures. The main reason behind this is because they have the important properties to self-assemble and to self-replicate, making possible to produce nanostructures with a precision that is not achievable considering the classical silicon-based technologies.
Within the above context, the purpose of this talk is to present a comprehensive and up-to-date account of the main physical properties of some biological molecules, such as its electronic and thermodynamics aspects. A tight-binding transport modeling was performed, with hopping energies calculated within the density functional theory (DFT) framework. A current-voltage patterns, as well as a temperature dependent electronic specific heat at constant volume were  obtained, whose profiles suggest that they can be useful for the development of not only electronic devices, but also diagnostics tools for chronic-like diseases. Drug delivering achievements using quantum biolophysics are also discussed.

07/12/2012 - Prof. Dr. Marcelo Nestor Kuperman (Centro Atómico Bariloche - Argentina)
Info: http://fisica.cab.cnea.gov.ar/estadistica/en/miembros.htm 

A propagação da cooperação em redes complexas

Nos últimos anos, o jogo conhecido como o 'dilema do prisioneiro' tornou-se um paradigma para o estudo da emergência da cooperação em populações espacialmente estruturadas. Tal estrutura é geralmente assumida ser dada por um grafo. Em geral, o sucesso das estratégias de cooperação está associada com a possibilidade de formação de aglomerados globulares, que por sua vez depende de uma propiedade de rede que é medida pelo seu coeficiente de agrupamento. Nesta palestra iremos discutir a dependência do sucesso da cooperação sobre este coeficiente para redes regulares. Além disso, tanto para a dinâmica estocástica e determinística,  vamos mostrar que há uma forte dependência da composição inicial da população. Isto sugere a existência de vários mecanismos diferentes que podem promover ou impedir a expansão do cluster de cooperação.Nós estudamos em detalhes alguns desses mecanismos concentrando-se em redes completamente ordenados (coeficiente de agrupamento grande) ou redes aleatórias (coeficiente de agrupamento pequeno).

20/12/2012 - Prof. Dr. Renato M. Angelo (UFPR)
CV:

O Prêmio Nobel de Física de 2012

A realidade só se define quando observada. Esta concepção contra intuitiva resulta diretamente das previsões da Mecânica Quântica, uma das teorias mais jovens e bem-sucedidas da Física. Segue também, do mesmo recurso de realidades superpostas, e de previsões otimistas, que o mundo da computação e da comunicação pode sofrer uma revolução sem precedentes nas próximas décadas. Mas por que nunca vemos gatos mortos-vivos perambulando pelos corredores ou supercomputadores quânticos em operação nos laboratórios? Há, afinal, alguma probabilidade de que esses 'gedanken experiments' venham a se realizar em escala macro? Os laureados com o prêmio Nobel de Física deste ano, David Wineland e Serge Haroche, mostraram em seus laboratórios em Boulder e Paris que a Mecânica Quântica é um sonho possível. Nesta palestra, serão apresentados alguns dos feitos notáveis destes cientistas.